"Corri riscos, estive com pessoas que pertencem à História. Tudo isso fez de mim aquilo que sou."
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
*
No Dia Mundial da Poesia em Santo Tirso
23-03-2017

No Dia Mundial da Poesia, nos transportes públicos da zona norte de Santo Tirso, os passageiros foram surpreendidos, durante a viagem, com a leitura de vários poemas de Manuel Alegre, que estará presente, sexta-feira e sábado, naquela cidade. Manuel Alegre é é o grande homenageado da 14.ª Edição de Poesia Livre, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santo Tirso, que teve início no passado dia 11 e se prolonga até ao próximo domingo. Ler mais

A japoneira no cemitério de Nogueira da Regedoura
Manuel Alegre homenageia o "médico dos pobres" morto pela PIDE em 1940
23-03-2017

Há cinquenta anos, em "O Canto e as Armas", Manuel Alegre publicava o poema "Romance de uma árvore à beira do caminho" sobre António Ferreira Soares, o "médico dos pobres" e militante comunista que se escondia numa japoneira, no cemitério, para escapar aos esbirros da PVDE, antecessora da PIDE. Acabou por ser alvejado pela polícia política de Salazar, em 4 de julho de 1942, com 14 balas à queima-roupa. Esta sexta-feira, às 11.30, o poeta prestará homenagem ao Dr. Prata, como era conhecido, no cemitério de Nogueira da Regedoura, com a presença de amigos, camaradas e familiares. Ler mais

*
Prefácio de Mário Cláudio
13-03-2017 João Céu e Silva, DN on-line

Chega amanhã às livrarias uma das obras mais marcantes do poeta Manuel Alegre, O Canto e as Armas, 50 anos após a sua edição. Um volume cujos poemas foram musicados e cantados, entre outros, por Adriano Correia de Oliveira, tendo dado esse título ao próprio disco gravado em 1969. Segundo a editora recorda, O Canto e as Armas foi "o livro de uma geração mas que se prolongou no tempo enquanto voz de esperança numa pátria livre e de denúncia da opressão política da ditadura salazarista, da guerra colonial, da emigração e do exílio, a que muitos portugueses, como o próprio poeta, foram condenados". Ler mais

*
Publicado na Revista ctxt, em Espanha, e na revista Internazionale, em Itália
09-03-2017 Felipe Nieto, ctxt e Internazionale

A partir de Lisboa, Felipe Nieto analisa na revista ctxt – Contexto e Acción, de 8.2.2017, a experiência da “geringonça”, lembrando desde logo o Tejo, pelas palavras de Manuel Alegre: “Este rio que sabe a mar profundo / e dentro da cidade é rua e rio / e em cada rua dá a volta ao mundo / e de Lisboa fez nosso navio.” (Bairro Ocidental, 2015). O texto de Felipe Nieto foi republicado em Itália, na revista Internazionale, de 3-9 março de 2017, revelando a curiosidade da Europa, nestes tempos sombrios, por um “esperimento di sinistra” com sucesso em Portugal. Manuel Alegre, “não apenas patriarca das letras portuguesas, mas também exemplo vivo e respeitado de lutador desde os tempos da ditadura salazarista” é uma das referências do trabalho de Felipe Nieto. Ler mais

21-03-2017 Facebook do autor

No dia Mundial da Poesia, Manuel Alegre leu, para a RTP, "Poesia dia-a-dia", poema que faz parte de O Canto e as Armas. Veja a reportagem AQUI Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista de vida ao jornal i:
03-03-2017 Afonso de Melo (texto) e João Girão (fotos), título e subtitulos nossos, jornal i

"O Canto e as Armas” faz 50 anos. Foi o livro de um povo. Um canto. Uma sensação escrita de liberdade, como fora “Praça da Canção”. O poeta não envelhece, apesar do tempo. A voz continua firme. E um país terá sempre o tamanho dos seus homens.
O entrevistado tem muito para contar. Mais de 80 anos de uma vida digna de um personagem de Musset. Mistura de revolução e romantismo. Uma ideia de pátria, uma poesia interventiva, um gosto pela seiva. Uma entrevista de afetos. Afinal, entre quem fala e quem escreve, há lugares e pessoas que se repetem. E Águeda como uma mãe debruçada na janela da infância. Ler mais

*
Prefácio de Mário Cláudio à edição dos 50 anos de "O Canto e as Armas"
13-03-2017 Mário Cláudio, Pré-publicação no DN on-line

Não me recordo de outro livro, a não ser talvez o de Job, eleito em momentos de infortúnio, que se me tenha amassado tão imediatamente no sangue. Ler mais

*
Mais duas edições de Manuel Alegre em língua italiana
12-03-2017

"Piazza della Canzone" e "Nulla è Scritto" acabam de ser editados em Itália, na editora Kolibris. Recordamos que há muitos anos que Manuel Alegre é editado em Itália, onde a Universidade de Pádua criou uma cátedra com o seu nome. Ler mais

*
19-03-2017 Francisco Seixas da Costa, Facebook do autor

Uma noite, há quase duas décadas, eu e uma amiga, num grupo de gente bem mais nova do que nós, declamámos partes de poemas de Manuel Alegre. Os circunstantes olharam-nos com surpresa (não ouso dizer que com admiração) e, claro, perguntaram por que diabo sabíamos de cor essa poesia. Ler mais

Arquivo 2005-2009
Notícias
*
19-03-2017

Entre 9 e 26 de março, a Câmara Municipal de Santo Tirso promove mais uma edição da “Poesia Livre”. “E o grito se fez verbo” dá o mote à iniciativa, que conta com um programa recheado de atividades, tais como exposições, declamação de poemas, recitais de poesia e oficinas criativas.
Manuel Alegre será o homenageado, um dos poetas mais populares e interventivos de Portugal. O autor será protagonista de uma sessão solene na Câmara Municipal de Santo Tirso, no dia 25 de março, pelas 21h30. Manuel Alegre será apresentado pelo professor José Ribeiro Ferreira. Ler mais