Nós voltaremos sempre em maio
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
30-05-2015

Manuel Alegre convocou poetas, escritores, músicos, ex-companheiros e grandes desportistas, sem esquecer sua mãe e seu pai, para o acompanharem quando recebeu a medalha de ouro de Coimbra, no Salão Nobre da Cãmara Municipal. "Todos eles são Coimbra e a sua história. Todos eles, de um modo ou de outro, estão na Praça da Canção. Todos estão aqui comigo a receber a Medalha de Ouro da Cidade. Sem eles eu não seria quem sou. E sendo quem sou, trago comigo um pouco de todos eles" disse o poeta, comovido.
Veja a intervenção de Manuel Alegre AQUI Ler mais

Primeira folha do manuscrito original de Trova do Vento que Passa, de 1963
Primeira folha do manuscrito original de Trova do Vento que Passa, de 1963
30-05-2015 Lusa

O escritor e poeta Manuel Alegre foi hoje distinguido com a medalha de ouro da cidade de Coimbra e, na sessão, ofereceu ao município o manuscrito original de "Trova do Vento que Passa", poema de sua autoria. Na cerimónia, que decorreu no salão nobre da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Alegre agradeceu a distinção "com emoção e humildade", considerando-a "a mais importante que podia ter recebido na vida".
Oiça a "Trova do Vento que Passa" na voz de Adriano Correia de Oliveira no final da notícia Ler mais

*
Sábado, 30 de maio, a partir das 15.00
30-05-2015

Manuel Alegre estará em Coimbra, dia 30 de maio, para receber a medalha de ouro da cidade que lhe foi atribuída por unanimidade pela vereação municipal e para celebrar o cinquentenário do seu primeiro livro, a Praça da Canção, uma obra que se tornou um símbolo da luta pela liberdade. O evento inicia-se às 15.00 no Salão Nobre da Câmara Municipal com a entrega da medalha e prossegue às 17.00 com uma sessão que se realiza no pavilhão da Câmara Municipal de Coimbra no parque da cidade, parque Dr. Manuel Braga, no quadro da Feira Cultural de Coimbra, com a presença de José Carlos de Vasconcelos, leitura de poemas e música. Ler mais

29-05-2015

Maria Bethânia, que está em Portugal, é uma das intérpretes que já emprestou a sua magnífica voz a poemas de Manuel Alegre. Oiça "Meu amor é marinheiro", uma versão musicada por Alain Oulman para Amália Rodrigues, na voz da mítica cantora brasileira. Ler mais

*
27-05-2015 DN

“Um livro que encoraja” foi a definição do ex-presidente Jorge Sampaio sobre o mais recente volume de poemas de Manuel Alegre. Intitulado Bairro Ocidental, reúne o conjunto de poesias escritas nos últimos dois anos, todas com carácter de intervenção e de não resignação contra a situação nacional. O poeta declamou três dos poemas mais representativos da nova toada, que faz lembrar o cinquentenário Praça da Canção, após ter contestado a “contaminação da linguagem” e a “ocupação do país”. Relembrou as palavras do Papa Francisco sobre a “economia que mata” perante uma plateia onde estavam vários socialistas, entre os quais o ex-presidente Mário Soares, poetas e amigos. A apresentação ficou a cargo de António Carlos Cortez. Ler mais

*
António Carlos Cortez na apresentação de Bairro Ocidental:
26-05-2015

“Lido Bairro Ocidental não podemos ficar indiferentes”, disse António Carlos Cortez, poeta e crítico literário, na apresentação do último livor de poemas de Manuel Alegre em Lisboa, na livraria Buchholz. Um livro que representa a luta da linguagem “contra as palavras que não são daqui”, “poesia para ser cantada na ágora”, “em nome da palavra certa, certeira, justa, limpa”, “palavra poética que fere de morte a palavra política e tecnocrata”.
Leia o ensaio de António Carlos Cortez na íntegra AQUI. Ler mais

Alunos da Escola Secundária de Amares lêem poemas de Manuel Alegre
Alunos da Escola Secundária de Amares lêem poemas de Manuel Alegre
22-05-2015

Manuel Alegre esteve em Braga e Amares, no passado dia 21, a comemorar os 50 anos de Praça da Canção e a lançar o seu novo livro de poemas, Bairro Ocidental. Coube ao escritor José Manuel Mendes, Presidente da Associação Portuguesa de Escritores, apresentar o autor e a obra. No dia seguinte, o poeta participou numa homenagem organizada pela Escola Secundária de Amares, em que assitiu à leitura de poemas seus pelos alunoa. Assim passa a poesia, de geração em geração. Ler mais

*
Terça-feira, 26 de maio, pelas 18.30, em Lisboa
18-05-2015

António Carlo Cortez apresenta em Lisboa, no dia 26, Bairro Ocidental, o último livro de poemas de Manuel Alegre, editado este mês pelas Publicações Dom Quixote. A apresentação terá a presença do autor, inclui leitura de poemas e decorre na Livraria Leya, na Buchholz, na Rua Duque de Palmela, 4 (metro Marquês de Pombal). Ler mais

*
Revista 'E' coloca "Bairro Ocidental" entre os livros 'obrigatórios'
16-05-2015 E, revista do Expresso

“Nem todos os poemas deste livro se levantam, indignados, contra o desconcerto do mundo (também os há líricos)”, escreveu a E, a revista do Expresso, na sua secção Obrigatório – Livros, “mas a força maior deste Bairro Ocidental está nos momentos de revolta contra os ‘missionários da nova fé’ economicista; isto é, ‘contra o cifrão contra a agiotagem / contra o défice nosso de cada dia’. O poeta volta a reivindicar o poema como arma na ‘guerra da linguagem’, uma forma de resistência ativa a quem coloca arame farpado ‘entre nós e o futuro’”. Ler mais

*
Manuel Alegre sobre Bairro Ocidental
Entrevista ao DN.
16-05-2015 João Céu e Silva, DN

“Há coisas que não se dizem através de discursos políticos e que só a poesia á capaz”, afirmou Manuel Alegre em entrevista ao DN, sobre o livro de poemas que acaba de lançar, Bairro Ocidental. “Tentei exprimir poeticamente o mal português e o mal europeu, bem como a fase de declínio de Portugal e da Europa em que estamos e nos faz sentir mal por ausência de esperança”, acrescenta o poeta, por isso “são poemas zangados, porque é como nos sentimos”. “As palavras estão contaminadas”, explica, “e a função da poesia é descontaminar a linguagem”, pois “afinal temos a nossa própria língua ocupada pela economia”.
Veja a entrevista completa AQUI Ler mais

Crítica de A.C. Cortez ao novo livro de Manuel Alegre
13-05-2015

Bairro Ocidental, escreve António Carlos Cortez, no JL, sobre o novo livro de Manuel Alegre, é "um livro extraordinário" que articula "a língua poética elevada, culta, de camoniana ou pessoana dicção (é uma nova Mensagem, este livro?)," e um "léxico mais violento e mesmo certa virulência", com uma voz que nos atinge "na sua digna e autêntica revolta." "Contra as palavras dos novos donos da Europa", escreve ainda A.C.Cortez, "os «capitalistas da palavra», no dizer de Sophia, Alegre acusa, ironiza, estabelece a caricatura e declara: «Não podem cortar quem somos», legenda que anima esta escrita desenfreada, mas ao mesmo tempo fria, medida, cantabile."
Leia o texto integral de A.C. Cortez AQUI Ler mais

Disponível nas livrarias a partir de 11 de maio
11-05-2015

“Bairro Ocidental” é o nome do novo livro de poemas de Manuel Alegre, disponível a partir de hoje nas livrarias. Um livro em que o autor volta a dar voz ao grande “não” que há de novo para dizer, quando "resgate é palavra que noz diz". Ler mais

10-05-2015 https://www.facebook.com/manuelalegre.escritor

Marcelo Rebelo de Sousa referiu-se de forma elogiosa ao novo livro de poesia de Manuel Alegre, Bairro Ocidental, que a partir de dia 11 de maio estará disponível nas livrarias. No habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, na TVI, o comentador disse tratar-se de um livro que fala “sobre a troika” estando recheado de “óptimos poemas”, tendo lido a última estrofe de "Resgate", um dos poemas incluído no livro. Ler mais

08-05-2015 Francisco José Viegas, CM

"Em Bairro Ocidental, novo livro de poemas, Manuel Alegre não escapa ao seu destino: buscar a musicalidade, transigir com o quotidiano e a política, procurar um caminho (“o poema” ) no meio do caos, escreveu Francisco José Viegas, a propósito de Bairro Ocidental que acaba de ser posto à venda nas livrarias. Ler mais