"É preciso subverter o discurso cinzento e tecnocrático e recuperar a força primordial da palavra"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
*
A poesia é uma arma
24-04-2014

“As palavras estão ocupadas, o país está de novo amordaçado, agora por um poder invisível, o dos mercados, que é totalitário. Já ninguém fala do mar, do amor, do sol, das uvas, do vinho, da poesia. A poesia volta a ser importante como uma forma de resistência, de sublevação contra a linguagem instituída do poder. A poesia tem de voltar a decifrar os sinais, a antecipar o tempo, a subverter a linguagem do cifrão, dos juros, dos ratings, que afunilou a nossa vida e pôs um muro diante de nós”.
Manuel Alegre
A partir de hoje e nos próximos dias, este sítio irá disponibilizar poemas de Manuel Alegre cantados ou ditos por alguns dos mais conhecidos intérpretes da nossa língua.
1º Dia – 24 de Abril - Oiça o poema “É preciso um país”, dito por Manuel Alegre com acompanhamento de Carlos Paredes, no final da notícia.

Áudio
"É preciso um país"