"A Democracia não se faz com demagogos e oportunistas, faz-se com cidadãos"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Notícias
Manuel Alegre à Lusa:
Presidente da República está a provocar a instabilidade do próprio regime
19-11-2014 Lusa

"Este Governo não tem remodelação política possível, tem de haver eleições", afirmou Manuel Alegre à Lusa, a propósito dos casos em torno da concessão de vistos ‘gold’ e da substituição de Miguel Macedo por Anabela Rodrigues na pasta da Administração Interna. Apreensivo por o Estado Português estar, segundo disse, "num processo de agonia a desfazer-se", Alegre considerou que "isto só acontece porque o Presidente da República não está a funcionar como o garante do regular funcionamento das instituições. A interpretação minimalista que Cavaco Silva faz dos seus poderes presidenciais permite que da parte do Governo haja um sentimento de absoluta impunidade", criticou.

O ex-candidato presidencial admitiu que o programa de concessão de vistos ´gold' poderá ter constituído "provavelmente uma porta aberta a situações pouco transparentes e até de corrupção", mas preferiu salientar as consequências para o sistema democrático resultantes dos últimos casos políticos. Neste contexto, além da recente demissão de Miguel Macedo, o conselheiro de Estado apontou "a situação de degradação política provocada pela permanência em funções governativas dos ministros das Justiça e da Educação.”

"Nunca se viu nada assim na história da democracia portuguesa, mas este Governo sabe que beneficia de impunidade, porque o Presidente da República não quer dissolver a Assembleia da República e convocar eleições legislativas antecipadas. Em nome de uma falsa conceção de estabilidade, o Presidente da República está a provocar a instabilidade do próprio regime", concluiu Manuel Alegre.