"A grande poesia não cabe num tweet"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
3 / 4
1 2 3 4
Encontro-debate no ISCSP
07-12-2010

Razões da candidatura


"Portugal está em risco na sua autonomia e na sua soberania e a qualidade da nossa democracia está ameaçada. E é por isso mesmo que me apresento" Ler mais

*
Manuel Alegre ao Sol
26-11-2010

Aos 74 anos, o poeta e ex-deputado tenta pela segunda vez a eleição presidencial, agora com apoio partidário. Queixa-se de a sua campanha estar a ser ignorada nos media e diz que «não se candidata para preservar o Governo do PS».
Como está a correr a campanha?
Muito bem, mas tem sido boicotada. Há uma tentativa de desvalorizar esta campanha. Isso é evidente. Mas eu não aceito que a comunicação social continue a ignorar os jantares com 500 e 600 pessoas que temos feito. Como é? Estou outra vez na clandestinidade? Ler mais

*
Livro- entrevista de Manuel Alegre a João Céu e Silva
18-11-2010

Num livro-entrevista sobre a sua vida e obra, o poeta-político conta que ficou incomodado com o fim da amizade com Mário Soares, e que até lhe pediram que fosse ele a apresentar a candidatura do antigo camarada a Belém para ajudar a direcção do PS a resolver a situação, diz não saber se Fernando Nobre é de esquerda e esclarece que "não há nada que impeça o presidente de publicar um livro de poemas". Ler mais

*
Manuel Alegre sobre o papel desempenhado pelo actual Presidente da República:
13-11-2010

Assume que a dimensão da crise política e económica lhe dificultou o combate mas também lhe aumentou a motivação: Cavaco, acusa, tem estado ausente e Portugal precisa de um Presidente que se faça ouvir. Ler mais

*
Entrevista à revista SIM
07-11-2010

Natural de Águeda, Manuel Alegre começou a sua vida política ainda no tempo de estudante em Coimbra, e desde logo ficou “marcado” pela PIDE. O serviço militar e consequente chamada para a Guerra Colonial foram tentativas do regime de calar a sua revolta, mas nem durante esse período Manuel Alegre se conteve. Foi preso, fugiu e regressou a Portugal para se tornar num dos rostos do pós-25 de Abril. Ao fim de mais de 30 anos, candidatou-se à Presidência da República, sem apoios partidários e fazendo uma corrida “pelo lado de fora”. Conseguiu, contudo, angariar mais votos que Mário Soares, na batalha com Cavaco Silva. Voltou a candidatar-se este ano, desta vez com apoio partidário e logo de dois partidos (PS e BE) e espera contribuir para recuperar o país. O “político-poeta” (não lha fez confusão ser chamado assim) apresenta-se em entrevista à revista SIM. Ler mais

Manuel Alegre ao DN:
28-10-2010

Que análise faz à rutptura na negociação entre PSD e Governo?
A mim não me surpreende muito. Sei que o Presidente convocou o Conselho de Estado, mas eu já tinha avisado... Primeiro, (Cavaco Silva) convocou os partidos depois de eles se terem desentendido politicamente, quando deveria tê-lo feito antes. Agora, convocou o Conselho de Estado depois de um desentendimento público. Eu vou e tentarei contribuir com sentido de Estado. Ler mais

*
Gente que conta - Manuel Alegre
entrevista conduzida por João Marcelino para o DN e TSF
23-10-2010

"Se fosse presidente, teria convocado o Conselho de Estado. Teria convocado os partidos políticos antes de eles se desentenderem. Teria convocado os parceiros sociais, sindicatos e associações patronais. Teria tentado promover uma concertação, política e social. (...) E teria tentado sensibilizar chefes de Estado, governos e instituições estrangeiras. (...) Há situações em que o Presidente da República deve pronunciar-se, não pode ser só um gestor de silêncios. (...) Tem havido uma certa falta de comparência do Presidente da República".
Veja o video da entrevista AQUI
Oiça a entrevista na TSF AQUI Ler mais

16-10-2010

Crítico em relação à pressão do poder económico sobre o poder político, firme na manutenção da independência face ao Governo e ao partido que o apoia, Manuel Alegre crê que é desta que os portugueses lhe darão um voto de confiança e que derrotará Cavaco Silva, nem que seja numa segunda volta. As sondagens aproximam-no do Presidente da Republica, que continua a descer nas intenções de voto. Ler mais

*
Manuel Alegre ao Correio do Minho:
16-10-2010

Depois de “muitas dúvidas”, Manuel Alegre reconhece que a regionalização é necessária ao desenvolvimento de Portugal. Em entrevista ao Correio do Minho e Rádio Antena Minho, o candidato à presidência da República diz que “o desemprego é o principal desperdício nacional”. Ler mais

Manuel Alegre ao JN:
27-09-2010

“Não estou a combater nenhum governo, o meu combate é com Cavaco” afirma Manuel Alegre hoje em entrevista ao JN, onde analisa a actual crise, reafirmando a defesa do Estado social e a necessidade de manter as decisões em mãos nacionais. Quanto a eventuais acordos entre PS e PSD, Manuel Alegre considera "desejável que haja estabilidade e um Orçamento que corresponda às necessidades do país", mas frisa que não é “padrinho do bloco central ou de qualquer outra coisa”.
Veja o video da entrevista AQUI Ler mais

Manuel Alegre em entrevista à Antena 1:
23-09-2010

Manuel Alegre manifestou-se perturbado por ver “portugueses, ex-ministros das finanças, pessoas com responsabilidades políticas, que estão a abrir as portas ao Fundo Monetário Internacional”. Alegre, em entrevista à Antena 1, recordou que “muitos portugueses sabem o que isso é doloroso”, invocou o facto de haver países com défice superior ao nosso onde o problema nem se põe e citou o próprio Presidente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, que afirmou não haver motivo para isso. Depois de lembrar que “o nosso país foi várias vezes pioneiro” na abertura de novos caminhos, o candidato manfestou-se preocupado por ver que “a ideologia, e nalguns casos os interesses, estão acima do que é o interesse nacional e acima da obrigação de conservar os centros de decisão em nossas mãos”.
Oiça a entrevista na íntegra AQUI ou no final da notícia Ler mais

Manuel Alegre à Antena 1:
23-09-2010

“O que é que o senhor Presidente pensa sobre o Estado social? O que fará se aparecer uma lei contra o serviço nacional de saúde?” perguntou Manuel Alegre em entrevista à Antena 1, reiterando que o que o separa do actual Presidente “é saber se se é por ou contra o Estado social”. O candidato voltou a afirmar com clareza que usará o seu veto contra qualquer lei, de qualquer governo, contra o serviço nacional de saúde, a escola pública, a segurança social pública ou outros serviços “de que os portugueses precisam e que, votem em quem votem, não abdicam”. Ler mais

Manuel Alegre recebe ‘CM’ na sua casa em Águeda
11-09-2010


"No dia em que nasci houve um tremor de terra. Costumo dizer que só a minha mãe o sentiu". O humor acompanha o gesto que conduz até ao quarto onde tudo aconteceu. Foi há 74 anos. Hoje, é no mesmo número 63 da rua com nome de navegador, que, homem feito, Manuel Alegre abre as portas ao CM da casa onde se refugiou antes de entrar na corrida para as presidenciais. Ler mais

Alegre revisita antiga escola primária de Águeda
Alegre revisita antiga escola primária de Águeda
Manuel Alegre em entrevista ao CM:
11-09-2010

Com dois netos, Manuel Alegre assume-se preocupado com o rumo da Educação. "Fecham as escolas,e fechar escolas acaba com as aldeias. Deve ser visto caso a caso. O progresso pode ter custos", alerta o candidato, lembrando que, no seu tempo, era impensável pensar que um aluno poderia agredir o professor. "Tem de haver prémio e castigo para as crianças, nada compensa o afecto" diz, criticando os pais que optam por dar tudo aos filhos para compensar ausências. Ler mais

Manuel Alegre entrevistado na blogosfera:
18-08-2010

Em resposta a 6 perguntas colocadas por visitantes do blogue Sorumbático, Manuel Alegre revisita alguns temas fundamentais da sua candidatura, desde a crise externa e interna ao papel do Presidente. Para o candidato, "tem faltado" um dos principais modos de acção do Presidente, que é "o dever de inspirar, o dever de mobilizar e unir". Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista ao Público
Entrevista conduzida por Leonete Botelho e Nuno Simas, fotos de Daniel Rocha
23-07-2010

Manuel Alegre pensa que este não é o momento certo para discutir uma revisão constitucional e considera que o projecto do PSD parece feito à medida para que o próximo Presidente possa demitir o actual Governo". Em entrevista ao Público, o candidato presidencial diz que o projecto social-democrata reforça "da pior maneira" a partidocracia". Alegre defende ainda que seria muito grave se o próximo Orçamento não passasse. Ler mais

Manuel Alegre em entrevista à TVI24:
14-07-2010

“Deve-se falar verdade mas com sensibilidade social”, defendeu Manuel Alegre esta noite em entrevista ao jornalista Paulo Magalhães na TVI24, contestando a afirmação de Hernâni Lopes de que se deveria cortar 10 ou 20 por cento dos salários. Para Manuel Alegre dizer isso na situação actual é “uma crueldade”, pois “temos 57% dos portugueses a viver com menos de 900 euros e 31% entre 400 e 700 euros”. “Se alguém vive muito acima das nossas possibilidades, não é a generalidade dos portugueses”, rematou.
Veja a entrevista no final da notícia Ler mais

*
Manuel Alegre em entrevista à RTP1:
02-06-2010

“Os portugueses não estão disponíveis para viver sem esperança”, afirmou Manuel Alegre esta noite na entrevista concedida a Judite de Sousa na RTP1. "Se não criarmos uma grande mobilização de forças para vencer esta dependência do exterior, seremos um país cada vez mais dependente", alertou e entrevistado. Respondendo com serenidade a todas as questões colocadas pela jornalista, o candidato presidencial fez questão de recordar: “Não estive à espera de ninguém para apresentar a minha candidatura”, explicando a sua génese pela “rede política, afectiva, cívica” criada há cinco anos. Quanto ao apoio do PS, o candidato considerou-o “natural”, por sempre ter estado “na linha da frente” de todos os combates fundamentais, mas deixou claro que irá gerir a sua campanha presidencial numa óptica de interesse nacional, ultrapassando as naturais divisões político-partidárias. "A minha candidatura não é uma candidatura de partidos" disse ainda Manuel Alegre, frisando: “Não me candidato para governar nem para derrubar o governo”.
Veja a entrevista em baixo Ler mais

Manuel Alegre em entrevista a Judite de Sousa, Parte 1
02-06-2010
3 / 4
1 2 3 4