Vi o meu país a arder, sei que morreram cem pessoas em quatro meses e não consigo ficar calado.
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
1 / 3
1 2 3
Manuel Alegre em sessão do MIC Porto:
31-01-2017

É bom estar aqui convosco outra vez a celebrar o 31 de Janeiro. Foi aqui também que o MIC nasceu. Saúdo o MIC Porto por ter sabido manter a sua autonomia e os seus valores, agora com outras causas e outros objectivos. Ler mais

Manuel Alegre no Congresso do PS
04-06-2016


Amigos, companheiros e camaradas
Uma jornalista perguntou-me à entrada: não acha que o PS está muito radicalizado? Eu ri-me e respondi: o PS é um partido de esquerda, mas um partido moderado, quem radicalizou a vida política portuguesa foi a coligação da direita, uma coligação ultra-radical, que fez o PREC do avesso, pôs em risco o Estado Social e os direitos da nossa democracia.

Houve uma grande mudança política que tem um significado cultural: é o fim do “arco da governação”, uma libertação da democracia que estava diminuída. Foi também uma libertação dos sectarismos e preconceitos dentro do PS, do BE, do PCP e do PEV. O mérito é de António Costa, mas também de Jerónimo de Sousa, que na noite das eleições disse que "o PS só não será governo se não quiser", e de Catarina Martins. Ler mais

*
Solidário com a Grécia, Manuel Alegre apela à resistência :
Em sessão cívica no Fórum Lisboa, dia 2 de julho de 2015
02-07-2015

Amigos, companheiros e camaradas

Este é tempo de lutar de novo por Atenas em Salamina. Mas hoje Salamina é cada um de nós, é o nosso próprio país, são todos os cidadãos europeus que não querem ser subjugados pela ditadura da finança e da austeridade. É uma batalha pela cidadania, pela soberania e pela democracia. Essa é a batalha que os gregos estão a travar neste momento. E esse é também o nosso combate.

Ler mais
*
Manuel Alegre na Convenção do PS
06-06-2015

Não venho aqui dizer que já ganhámos as eleições. Venho dizer que Portugal precisa que o PS ganhe as eleições.
Veja um excerto do discurso AQUI Ler mais

foto de Daniel Rocha
foto de Daniel Rocha
Manuel Alegre no XX Congresso do PS:
29-11-2014

Os socialistas souberam responder a um forte choque emocional e colocar acima dos seus sentimentos a responsabilidade política e nacional do PS. Não era fácil – mas conseguimos. E essa é uma grande vitória política de António Costa, uma vitória política do Congresso e de todos os socialistas contra aqueles que tinham e mantêm outra agenda. Desiludam-se!
Somos um partido livre e fraterno. Um partido que não muda as fotografias. Um partido sem medo. Não estamos ensombrados e não temos medo de fantasmas. Mas somos também um partido que é um baluarte da democracia, do Estado Social e do Estado de Direito, cuja construção se confunde com a própria história do PS. Ler mais

Manuel Alegre na Comvenção Nacional do PS em Lisboa:
17-05-2014

Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia reunir-se-ão em Portugal no próprio dia das eleições. É um ultraje à nossa soberania e uma inadmissível ingerência na nossa democracia. Mas é também uma derrota da Europa. Porque a Europa não pode ser o poder dos bancos sobre as pessoas, nem a lógica neoliberal que impõe a hegemonia dos mercados contra a democracia e contra os estados. Como foi possível chegar a esta Europa desfigurada? Esta é a reflexão que temos de fazer para mudar a Europa e para mudar Portugal. Ler mais

*
Manuel Alegre em Coimbra
Em defesa da Constituição, do Estado Social e da Democracia
21-01-2014

Depois de com Mário Soares e outros ter sido um dos promotores da sessão da Aula Magna, é com muita emoção que estou hoje convosco na minha cidade para uma nova sessão de cidadania.
A crise que estamos a viver é uma das mais graves da história de Portugal. Não só porque está a pôr em causa a Constituição, o Estado Social e a Democracia, mas porque é uma crise de confiança e de esperança, uma crise que anula a dignidade das pessoas e afecta a própria identidade do país. E que por isso interpela a consciência de cada um de nós.

Ler mais
*
Intervenção na 8ª Jornada Pastoral de Cultura
22-06-2012

Quando foi publicada a encíclica Pacem in Terris (Paz na Terra) de João XXIII, eu estava na prisão. A razão fundamental para ter sido preso foi a minha oposição à Ditadura e a minha participação num movimento militar que tinha em vista encontrar uma solução para o fim da guerra colonial, que conheci como combatente e me deixou memórias que jamais se apagarão.
Foi também em plena guerra, no Verão de 62, que vivi com extrema ansiedade a crise dos mísseis, em Cuba, que colocou o Mundo à beira de uma catástrofe nuclear.
Imaginam por isso a alegria que senti com a notícia da publicação desta Encíclica, que interpretei como um reforço da nossa esperança num futuro de liberdade, de justiça e de paz. Ler mais

Manuel Alegre em Coimbra:
16-01-2012

“Tudo o que Portugal fez de grande – as navegações, o encontro com outros povos – é fruto de uma empresa pública chamada Estado. A Índia, o Brasil, a África, a Ásia, o encontro com outros povos e continentes, a difusão da língua portuguesa – tudo isso é fruto de uma empresa pública chamada Estado”, afirmou Manuel Alegre em Coimbra, acusando aqueles que afirmam que “sai o Estado, entra o mercado” de não conhecerem a História de Portugal, pois “sem Estado, Portugal não existia." Numa intervenção marcadamente ideológica, Manuel Alegre convidou ao renascimento do socialismo democrático, à ruptura com "o centro do centro" e ao combate de ideias contra a hegemonia neo-liberal da direita, sem "ter medo da palavra ideologia, da palavra esquerda e da palavra socialismo." Ler mais

Manuel Alegre em Braga:
Discurso no Congresso do PS
10-09-2011
Manuel Alegre na campanha eleitoral em Coimbra:
27-05-2011

Não gosto que os dirigentes de outros partidos digam que estão dispostos a dialogar com o PS, mas com um PS sem José Sócrates. Acontece que José Sócrates é o secretário-geral do PS escolhido pelos socialistas. Se o excluem a ele, excluem-me a mim, excluem cada um de nós, excluem o Partido Socialista.
E por isso, eu, que muitas vezes tive divergências com José Sócrates, estou aqui hoje com ele. Porque ele defendeu Portugal nesta crise, não fugiu nem desistiu, está no combate e a dar a cara. Ler mais

*
Manuel Alegre no Congresso do PS em Matosinhos:
09-04-2011

"Não é possível discutir Portugal sem discutir a Europa" afirmou Manuel Alegre num vigoroso discurso no Congresso do Partido Socialista. Aplaudido frequentemente, Manuel Alegre retomou as grandes bandeiras da sua candidatura presidencial na defesa dos direitos sociais e apelou ao combate político e ideológico contra a ofensiva neoliberal protagonizada pelo PSD. Numa hora grave, em que "é preciso falar verdade" e "saber construir a esperança", Alegre enquadrou o combate dos socialistas num combate mais amplo em toda a Europa a apelou à abertura e renovação do PS, partido sem o qual e contra o qual "não haverá soluções de esquerda" que salvaguardem "o conteúdo social da nossa democracia". Ler mais

Manuel Alegre em Matosinhos:
09-04-2011
*
Manuel Alegre na noite eleitoral
23-01-2011


Amigos, companheiros e camaradas
Muito obrigado pelo vosso afecto e pelo vosso apoio, sobretudo neste momento. Acabei de felicitar o candidato vencedor e desejar-lhe as maiores felicidades no exercício do mandato para que foi reeleito. Assumo pessoalmente esta derrota. Rejeito qualquer comparação com outras eleições. Cada eleição tem a sua dinâmica própria. Sempre valorizei a diversidade das candidaturas e nunca fiz qualquer apelo ao voto útil. Não é no momento de apuramento de resultados que vou mudar de opinião. Ler mais

*
Manuel Alegre no Coliseu dos Recreios:
20-01-2011

Amigos, companheiros e camaradas
Obrigado Lisboa, obrigado pelo vosso apoio, obrigado pela vossa confiança.
Cavaco Silva falou hoje finalmente dos juros da dívida. Mas não foi para atacar os especuladores, foi para fazer uma chantagem inadmissível contra a escolha livre e democrática dos portugueses. Acenou com o papão da segunda volta, como se a segunda volta não fosse um facto normal em democracia. Ler mais

*
Manuel Alegre em Coimbra
15-01-2011

Amigos, companheiros e camaradas
Estou aqui com o mesmo espírito de luta com que há muitos anos usei pela primeira vez da palavra numa assembleia magna da Associação Académica. Portugal era então um país oprimido e a liberdade era uma palavra proibida. Mas houve alguns que não se submeteram. Houve alguns que resistiram, que tanto teimaram que acabaram por conseguir. Também então se dizia que a liberdade era uma utopia. Mas houve alguns que acabaram por conseguir realizar essa utopia. Ler mais

*
Manuel Alegre no almoço com sindicalistas em Palmela:
08-01-2011


"Estamos perante uma luta política, social, ideológica, muito intensa e decisiva para o futuro de Portugal e da democracia. Estão em confronto dois projectos – um projecto progressista, democrático, baseado nos valores da justiça social e da Constituição da República e um projecto conservador e que tem características restauracionistas. Desta vez não há lugar à indiferença, não há lugar a baixar os braços, não há lugar à abstenção." Ler mais

*
Apelo de Manuel Alegre aos escritores:
07-12-2010

"Ao contrário do grande poeta Alexandre O’Neil, eu nunca senti Portugal como um remorso. Da minha visão da História faz parte a convicção de que Portugal é um destino. Um destino que está nas nossas mãos e pelo qual, mais do que nunca, todos somos responsáveis. E é por isso que me candidato a Presidente da República." (...) "E é por isso que conto convosco. Para que juntos tentemos dar um sentido a este tempo sem sentido. E para que me ajudem a reconstruir a palavra esperança." Ler mais

*
Manuel Alegre na Ilha Terceira:
04-12-2010

"Portugal está ameaçado e a qualidade da democracia está a ser posta em causa por uma nova ditadura, a ditadura dos mercados financeiros" alertou Manuel Alegre no jantar de apoiantes na Ilha Terceira. "Este é um dos momentos mais críticos da história contemporânea de Portugal e da Europa" mas também por isso, afirmou, "a minha candidatura é mais necessária do que nunca". "Não é este o caminho", insistiu, "porque a austeridade leva à recessão" e do que nós precisamos é "de um novo paradigma", "de crescimento económico, de coesão social e de políticas de emprego". "Temos que dizer àqueles que estão a desconstruir a Europa à custa dos povos, das classes trabalhadoras e dos mais desprotegidos que queremos um novo olhar, nosso, sobre a Europa e sobre o mundo".
Oiça a intervenção de Manuel Alegre na íntegra no fim da notícia Ler mais

*
Manuel Alegre no Congresso da Tendência Sindical Socialista da CGTP:
07-11-2010

Amigos, companheiros e camaradas, muito obrigado pelo vosso convite, é para mim uma alegria e uma grande honra estar aqui. Estou entre sindicalistas, estou entre sindicalistas socialistas, estou em família e estou com os meus. Aqueles que me conhecem – e foi um prazer e uma alegria ter encontrado aqui o Kalidás Barreto, o Carlos Alves, mas também o João Proença e o Carlos Trindade – aqueles que me conhecem de há muitos anos sabem que eu sempre me bati pela valorização e dignificação da tendência sindical socialista. E sempre disse que não podia haver em Portugal um movimento sindical forte sem os socialistas e muito menos contra os socialistas. E sempre disse também que não se pode governar à esquerda sem os sindicatos ou contra os sindicatos, particularmente sem a colaboração daqueles que estão perto de nós, como os sindicatos socialistas.
Veja a primeira parte da intervenção de Manuel Alegre no Youtube AQUI
Veja a segunda parte da intervenção de Manuel Alegre no Youtube AQUI Ler mais

1 / 3
1 2 3