Nós voltaremos sempre em maio
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
*
Opinião
30-06-2010 Domingos Amaral, Correio da Manhã

Se este tem sido um ano de terramotos pelo mundo fora, preparem-se para mais um, mas agora na política portuguesa. O grau do abalo ainda não é conhecido, mas a dar-se poderá ser um dos mais fortes de sempre desde Abril de 74. Exagero meu? Olhem que não, como dizia o outro. A recente revelação de que o PSD de Passos Coelho está disponível para uma coligação com o CDS-PP de Portas pode alterar profundamente a lógica da situação nacional. Ler mais

Paul Krugman
Paul Krugman
Opinião
27-06-2010 Paul Krugman, New York Times (tradução nossa)

As recessões são comuns; as depressões são raras. Tanto quanto posso dizer, só duas eras na história da economia foram amplamente descritas como "depressões" na época: os anos de deflação e instabilidade após o Pânico de 1873 e os anos de desemprego em massa que se seguiram à crise financeira de 1929-1931.

Nem a Longa Depressão do século 19 nem a Grande Depressão de 20 foram épocas de declínio contínuo - pelo contrário, ambas incluíram períodos em que a economia cresceu. Mas estes episódios de melhoria nunca foram suficientes para desfazer o estrago da queda inicial, e foram seguidos por recaídas. Ler mais

*
Violante Saramago Matos em entrevista ao DN e à TSF:
26-06-2010 DN Madeira

“Cada vez mais é preciso encontrar outras formas de intervir – e os cidadãos não estão todos nos partidos”, afirma Violante Saramago Matos, mandatária de Manuel Alegre na Madeira, em entrevista ao DN e à TSF. A mandatária, que actualmente não tem filiação partidária, explica por que razão apoia Manuel Alegre, tece críticas a Cavaco Silva e reflecte sobre os acontecimentos do 20 de Fevereiro.
Veja a entrevista toda AQUI Ler mais

Opinião
18-06-2010 José Manuel Mesquita, Sol

Mário Soares vaticinou um eventual erro (fatal?) para Sócrates e para o PS no apoio a Manuel Alegre. Sendo o fundador do PS, menosprezar a sua opinião seria um erro e subestimá-la um disparate. Ler mais

*
Opinião
18-06-2010 Cipriano Justo, Público

Quando o Presidente da República aproveita a oportunidade de um acto institucional com a relevância simbólica do 10 de Junho para se dirigir aos portugueses declarando o país em "situação insustentável", só se pode aceitar esse diagnóstico como uma autocrítica e o reconhecimento de que os cinco anos passados no Palácio de Belém, tudo resumido, serviram exclusivamente para tirar essa conclusão. Ler mais

*
15-06-2010 António Carlos dos Santos, IDEFF/ FDUL , Abril 2010

O tema da minha intervenção inspira-se nas conhecidas teses de Vito Tanzi sobre as térmites fiscais, centrando a atenção na questão tão actual da luta contra os offshore. Ler mais

*
14-06-2010 Jacinto Lucas Pires, http://chanatas.blogspot.com/

Sim, é verdade. Sou o mandatário para a juventude da campanha de Manuel Alegre. E não, não é por qualquer tipo de “solidariedade literária”. Nem pela graça de, aos 35-36 anos, cheio de cabelos brancos, poder usar, por uns meses, o ambíguo título da “juventude”. Ler mais

*
A ciência económica e a crise de 2007/8-20??:
10-06-2010 António Carlos dos Santos, Revista da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas

Parafraseando a célebre frase de Clémenceau, a crise (financeira e económica, internacional e interna) é demasiado importante para ser deixada nas mãos dos economistas. A crise interessa a todos (embora atinja mais profundamente uns que outros) e tanto basta para justificar as interrogações e perplexidades de um cidadão com a forma como muitos economistas apresentam, tratam e debatem a questão da crise. Ler mais

*
Opinião
09-06-2010 Fernando Santos Pessoa, Público

O dr. Manuel Alegre é um dos poucos políticos no activo que aliam o prestígio e a craveira intelectual com a credibilidade e idoneidade morais, tão poucos serão que talvez se contem pelos dedos de uma só mão. Ler mais

*
Opinião
09-06-2010 Domingos Amaral, http://www.cmjornal.xl.pt

Ao contrário de Soares I e Sampaio I, Cavaco perdeu pontos em casa e não ganhou fora. O seu eleitorado encolheu. Ler mais

*
Opinião
07-06-2010 Rui Namorado, http://ograndezoo.blogspot.com

(...) penso que a grande força estratégica (da candidatura de Alegre) está no facto de a sua independência não ser uma contrariedade que tenham que digerir as forças políticas que resolvam apoiá-la, mas pelo contrário algo que convém a essas forças. Ler mais

*
Daniel Cohn-Bendit no Parlamento Europeu:
03-06-2010 http://www.youtube.com

O carismático deputado europeu Daniel Cohn-Bendit, líder do Grupo dos Verdes, numa intervenção veemente no Parlamento Europeu, apelou à mudança dos Tratados europeus para criar um Fundo Monetário Europeu e considerou que os líderes europeus "enlouqueceram" por exigirem à Grécia aquilo que não são capazes de fazer eles próprios. "A culpa é nossa!", a Europa andou a tergiversar durante 4 meses, disse Cohn-Bendit. "É preciso criar uma coesão, isso não se decreta", disse ainda, "não se pode pedir o impossível".
Veja o discurso em francês (legendado em portguês) AQUI Ler mais

*
Opinião
01-06-2010 Jorge Seguro, Deputado do PS, Diário Digital. Castelo Branco

... é aqui que reside a diferença entre Alegre e Cavaco. O primeiro usará a sua cultura, o seu espírito combativo (que todos conhecemos quando lutou pela liberdade antes de 1974) e a sua alma poética para colocar todos os instrumentos de que dispõe ao serviço dos portugueses e do seu bem-estar. O segundo, tal como nos habituou desde os anos 80, apenas gerirá o ciclo político para que as políticas de liberalismo económico e de direita se instalem em Portugal. Ler mais

*
Opinião do antigo Chefe da Casa Civil de Mário Soares
01-06-2010 Alfredo Barroso, Diário de Notícias

Sou republicano, socialista e laico. Seria inconcebível eu apoiar um candidato a Belém que não preenchesse essas três características. Acho que o PS fez muito bem em declarar um apoio inequívoco e sem tibiezas ao candidato Manuel Alegre. Ler mais

*
Opinião
01-06-2010 João Paulo Guerra, Diário Económico

Os resultados das presidenciais de 2006 provaram que há milhões de votos que não têm dono. A questão é entre os candidatos credíveis e a consciência dos eleitores. E no fim fazem-se as contas. Ler mais