"Amália, mais do que ela, é todos nós"
Manuel Alegre
InícioManuel AlegreNotíciasAgendaOpiniãoPresidenciais 2011LinksPesquisa
YouTube Twitter FaceBook Flickr RSS Feeds
> Discurso Directo
> Discurso Indirecto
Opinião
Os sabonetes e as presidenciais
28-12-2010 José Carlos Palha Gaia, Público

"Ninguém debate ou quer debater o que pode estar em jogo realmente nestas eleições, ou seja a viragem mais à direita da nossa classe política. Não há nenhum comentador político que queira falar no assunto em profundidade, traçando os cenários possíveis para o ano 2011 em termos de correlação de forças na Assembleia da República e na Presidência. Se chegaram à conclusão (não sei com que interesse...), de que o melhor para o país é ter de novo Cavaco Silva na presidência e Passos Coelho no governo, então que o digam abertamente.(...) Assim sendo, vão vendendo sabonetes e pouco mais!..."

Estamos a um mês das eleições presidenciais e a nossa comunicação social faz-nos o favor de nos fazer crer que tudo já está decidido e que nem vale a pena falar no assunto. Já alguém disse que tanto se pode vender um sabonete como um Presidente da República e de facto assim é. Para tais meios, Cavaco Silva é dono de todas as virtudes, mesmo que tenha amigos eventualmente envolvidos em escândalos que aparentemente tentou proteger ou que no passado, como governante, tenha cometido erros que agora aponta aos seus adversários políticos. Ele não tem nada a ver com tudo isto porque, como o disse no debate televisivo, para alguém ser tão honesto como ele teria que nascer duas vezes. Só esta frase faz arrepiar qualquer cidadão medianamente esclarecido e bem formado moral e intelectualmente.

As rádios, as televisões os jornais teriam ganho rios de dinheiro nas mais variadas especulações se o protagonista de tais palavras fosse José Sócrates. Dois pesos e duas medidas que fazem da nossa comunicação social um meio poderoso de alienação e manipulação. Claro que, com estas premissas, Manuel Alegre é portador de todos os defeitos possíveis e imaginários e está à partida condenado a uma derrota estrondosa…

Ninguém debate ou quer debater o que pode estar em jogo realmente nestas eleições, ou seja a viragem mais à direita da nossa classe política. Não há nenhum comentador político que queira falar no assunto em profundidade, traçando os cenários possíveis para o ano 2011 em termos de correlação de forças na Assembleia da República e na Presidência.

Se chegaram à conclusão (não sei com que interesse...), de que o melhor para o país é ter de novo Cavaco Silva na presidência e Passos Coelho no governo, então que o digam abertamente.(...) Assim sendo, vão vendendo sabonetes e pouco mais!...